Prejuízos

Associações de cafeicultores do Triângulo e Alto Paranaíba relatam prejuízos com geada

As principais cidades produtoras confirmaram os danos, que podem refletir na safra de 2020.

08/07/2019 23h22Atualizado há 3 meses
Por: Expresso Notícia
Fonte: G1
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O fim de semana de temperaturas atípicas, que chegaram a - 0,1°C na região, foi de prejuízo para os produtores de café do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

Ao G1, as associações que representam as principais cidades produtoras confirmaram os danos, que podem refletir na safra de 2020.

Segundo o produtor e presidente da Associação dos Cafeicultores da Região de Patrocínio (Acarpa), Frederico Elias, as temperaturas tão baixas não eram esperadas pelo setor.

“Recebemos hoje inúmeras queixas dos produtores associados. O prejuízo foi grande, principalmente para as plantações próxima a baixadas e perto de córregos”, afirmou.

Elias disse que ainda não é possível mensurar o tamanho das áreas afetadas e o prejuízo financeiro, mas adiantou que os danos podem refletir na próxima safra. “A geada queima a planta e o café literalmente morre. Já é um problema para 2020”.

O presidente da Acarpa acrescentou que não há como os produtores se protegerem destes eventuais danos. “O que pode ser feito é evitar plantar em áreas com histórico de geadas. Mas, depois de muito tempo sem frio, o comportamento acaba voltando”, explicou.

Para o engenheiro agrônomo Luiz Donizete Ferreira, representante da Associação dos Cafeicultores da Região de Monte Carmelo (Amoca), muitas das fazendas da região registraram problemas com geadas neste fim de semana. “Não esperávamos isso. Agora, é necessário contabilizar os prejuízos para a safra do próximo ano”, afirmou.

Segundo ele, a associação ainda fará uma inspeção nesta semana para fazer um balanço dos reflexos negativos e das áreas afetadas. “A notícia boa é que foi só este fim de semana e não há previsão para que isso se repita este ano”, acrescentou.

O produtor de café que faz parte da Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), Rubens Alexandre Pieroli, disse que o estrago pode ser de 100% para a safra de 2020.

“Em Indianópolis o prejuízo foi maior. Acredito que pegou toda região. O que evitou maiores danos foi que as geadas foram pulverizadas e não atingiram todas as plantações”, disse.

Pieroli contou, ainda, que a fazenda dele não foi atingida, mas que outros produtores não tiveram a mesma sorte. "Os relatos chegam a todo momento. Muitos estão lamentando", completou.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.